Degustação às cegas: como funciona?

Todo mundo já ouviu falar dela, mas você sabe como acontece uma degustação às cegas? Confira tudo sobre uma das práticas mais famosas do mundo dos vinhos e como organizar a sua!

É preciso tomar certo cuidado com as referências de degustação às cegas que vemos por aí, especialmente em novelas e filmes. Não é muito difícil ver pessoas vendadas experimentando vinhos, mesmo não sendo assim que acontece na prática. Na verdade, você pode até tentar fazer algo do tipo, mas essa não é a definição exata do que o “às cegas” significa. Vamos entender como essa modalidade de degustação acontece?

Uma viagem através dos sentidos

Objetivamente, uma degustação às cegas acontece quando os participantes não sabem quais são os vinhos que irão experimentar. Ideal para aguçar os sentidos, especialmente o olfato e o paladar, a experiência pode ser realizada profissionalmente ou em momentos de diversão. Em ambos os casos, é importante tentar identificar o máximo de características do vinho para que, depois, você possa compartilhar e comparar suas análises com as dos colegas.

Enquanto em uma degustação técnica, a intenção costuma ser identificar atributos como as uvas e o terroir, com amigos, a experiência pode ser bem mais descontraída e, por vezes, até engraçada.

Faça a sua própria degustação às cegas!

Existem várias formas de realizar uma degustação às cegas. Você pode pedir para alguém escolher e embrulhar as garrafas ou, mais legal ainda, reunir amigos e falar para que cada um deles leve um vinho diferente, já embalado. Se você não tiver uma embalagem profissional, fique tranquilo! Dá para usar papel alumínio ou simplesmente tirar o rótulo – só não esqueça de anotar o nome do vinho antes, ok?

Assim como em uma degustação tradicional, recomendamos que primeiro sejam provados os espumantes, seguidos dos brancos, rosés e, só no final, os tintos, dos mais leves aos mais encorpados.

A cada vinho, tente descrever as cores, os aromas e os sabores percebidos em um papel. Sentiu cheiro de ameixa? Anote para não esquecer, até porque pode ser que mais alguém tenha sentido o mesmo! Para aqueles que têm mais experiência, tentar acertar o país e a uva também pode ser bem legal.

O próximo passo é comparar as suas impressões com as dos demais participantes, sendo que o vinho só poderá ser revelado depois que todos falarem! Para tornar a degustação ainda mais divertida, algumas brincadeiras podem ser feitas na hora da revelação. É um vinho francês? Que tal falar que é de um lugar onde as pessoas não gostam muito de tomar banho e deixar que adivinhem?

Resumidamente, é assim que funciona uma degustação às cegas. É claro que você pode adaptar as regras para sua realidade.

Existe apenas uma coisa que não pode faltar, os vinhos da Grande Adega! Que tal algumas dicas para você surpreender todo mundo?

Espumante Beau Rocher Brut Rosé

Espumante francês rosé seco. Apresenta aromas intensos de frutas vermelhas, como morangos e cerejas. Em boca, é cremoso, macio e muito equilibrado.

Due Mari Pinot Grigio Terre Siciliane IGT

Fresco e frutado em boca, este vinho branco apresenta aromas de frutas frescas, como maçã e pera, com notas cítricas e final floral.

La Viña de Sofia Albariño Clásico

Aromas de frutas brancas como maçã e pera, com notas cítricas e de flores brancas. Em boca, apresenta excelente acidez e muito frescor.

Nederburg Rosé

Um rosé frutado com notas de frutas vermelhas. Em boca, é levemente suave e possui final agradável.

Finca Beltran Duo Malbec e Syrah Rosé

Apresenta aromas frutados que lembram cerejas e framboesas. Em boca, destacam-se o frescor e a delicadeza.

Santa Julia Colección Tempranillo Malbec

Este atinto tem aromas de frutas como framboesas, cerejas, amoras silvestres e notas de especiarias. Em boca, taninos macios e ótima acidez final, além de ser muito equilibrado.

Quinta do Valdoeiro Reserva

Este vinho é elaborado apenas nos anos em que a variedade Baga atinge a sua expressão plena de identidade. Apresenta aromas complexos de frutos do bosque, lembrando mirtilos, com notas minerais. Em boca, possui ótima estrutura, taninos sedosos e acidez refrescante. Possui grande potencial de guarda.

Quer mergulhar ainda mais no universo dos vinhos? Acesse o nosso blog!

Compartilhe este post!

Facebook
Twitter
Pinterest
WhatsApp

Confira mais em

Afinal, espumante também é vinho?

Mesmo entre entusiastas, existe uma confusão muito grande sobre a classificação dos espumantes, mas viemos para finalmente resolver esta questão. Confira!