Como se faz vinhos rosés?

Frescos e elegantes, os vinhos rosés têm roubado a cena já há algum tempo e são preferência dos Millenials.

Segundo o Wine Intelligence, nos últimos dez anos houve uma mudança significativa na percepção dos vinhos rosés, que foram populares em um passado distante, posteriormente passaram por um período tímido e, nos últimos anos, ganharam novamente o mercado com versões elegantes e encantadoras.

Rosés são produzidos nos principais países do mundo, com ampla variedade de uvas e variam de seco a doce. Geralmente são vinhos de perfil frutado, de corpo médio, média acidez e álcool de aproximadamente 13% do volume. Os mais leves devem ser servidos entre 8 e 10 graus, em média, e os mais encorpados entre 10 e 12 graus.

Os vinhos rosés, em geral, conservam um pouco da estrutura dos tintos e a vivacidade, devido à destacada acidez, dos brancos. Eles vão muito bem sozinhos, em um piquenique, na beira da piscina ou na praia, por exemplo, ou ainda acompanhando as refeições mais leves. Ainda na questão da harmonização, as versões secas combinam perfeitamente com a culinária japonesa.

Mas como se faz vinhos rosés? O grande segredo é que a cor do vinho está na casca da uva. Então, se o contato do líquido com as cascas for curto, ou seja, se elas forem retiradas antes que o vinho se torne tinto, teremos os rosés.

O passo a passo, do vinhedo à adega é o seguinte:

  • As uvas são colhidas;
  • Chegam à vinícola;
  • O mosto (suco) inicia a fermentação com as cascas por um curto período;
  • As cascas são retiradas antes que o vinho fique tinto;
  • As leveduras transformam o açúcar em álcool e dióxido de carbono (gera-se muito calor durante a fermentação, então controla-se a temperatura para que os aromas não evaporem);
  • A fermentação, em tanques de inox, é concluída sem as cascas;
  • O vinho é mantido em tanques sob baixas temperaturas para descansar e estabilizar por um curto período.
  • Filtragem (alguns produtores optam por não fazer)
  • Engarrafamento.

Aqui na Grande Adega temos vinhos rosés de diversos estilos, de várias regiões do mundo! Conheça alguns rótulos aqui.

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Vinhos Díaz Bayo

A família Díaz Bayo elabora vinhos de grande destaque na Ribera del Duero, uma das principais denominações da Espanha.

Vinhos varietais e de corte?

Continuando nossa “tradução” do vocabulário do mundo dos vinhos, o significado dos rótulos varietais ou de corte numa explicação descomplicada.

Vinhos da Rioja

Conheça os vinhos da região da Rioja, a principal denominação da Espanha.