Harmonizações étnicas: descomplicando a culinária e os vinhos franceses

Para além de Foie Gras, ostras e vinhos caros, dicas de harmonizações acessíveis que farão você se apaixonar ainda mais pela França!

Ah, a França! Conhecido pelas paisagens deslumbrantes e a riquíssima cultura, o país tem, sem dúvidas, uma das culinárias mais importantes e influentes do mundo, culinária esta que congrega tradição e inovação de forma sinérgica e sofisticada.

Quando falamos em gastronomia francesa, temos que ter em mente que ela é dividida em alta cozinha e cozinha caseira, e, por mais que ambas sejam reconhecidas mundialmente como ditadoras de moda, isso não significa que precisem ser necessariamente caras ou inacessíveis, pelo contrário. No mesmo sentido deve ser entendida a vitivinicultura local, que também é referência e muitas vezes vista como essencialmente elitista.

Vinhos franceses: por que são tão cobiçados?

Bordeaux, França

De tradição milenar na produção de vinhos, o país ocupa posição geográfica única e privilegiada, possuindo um solo muito variado, o que favoreceu que algumas das uvas mais renomadas do mundo se desenvolvessem por lá, caso da Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Pinot Noir. Mais que isso, a França possui inúmeras e variadas regiões vinícolas, incluindo Champagne, Borgonha e Bordeaux, onde estão os vinhos mais disputados do mundo. Por estes e outros motivos, o país é a principal referência no mundo dos vinhos e elabora alguns dos rótulos mais famosos e complexos que existem.

Mesmo assim, como veremos a seguir, é possível encontrar opções de exemplares acessíveis e de qualidade.

Harmonizações descomplicadas: um outro lado da França

Pensando em unir a culinária e a tradição vitivinícola da França, separamos algumas dicas de combinações que são o crème de la crème. Trouxemos, inclusive, opções de vinhos de outros países, mostrando a versatilidade da comida francesa.

Cassoulet Toulousan, a “feijoada branca”

Cassoulet Toulousan
Cassoulet Toulousan

Conhecido como a “feijoada francesa”, este tradicional prato de Languedoc-Roussillon é feito à base de feijão branco e carnes, e costuma fazer bastante sucesso no Brasil, especialmente em regiões mais frias. Você, inclusive, provavelmente já deve ter provado um cassulê sem sequer imaginar a origem do prato. Para harmonizar com esta especialidade gastronômica, trouxemos duas opções, uma francesa, caso do Château Dubois Claverie Tinto, vinho de Bordeaux elaborado com as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon. Este tinto apresenta aromas frutados de cereja e mirtilo, com notas de pimenta vermelha e, em boca, possui taninos finos e é bastante saboroso. Para aqueles que querem opções de outros países e, ainda assim, garantir uma harmonização de qualidade, indicamos o Nederburg Shiraz, tinto da África do Sul, rótulo jovem com aromas de ameixa e cereja, e toques de especiarias. Em boca, este rótulo é seco, encorpado, e tem acidez equilibrada com taninos finos e final intenso.

Se você quiser entender o porquê de a uva francesa Syrah ser chamada de Shiraz em outras partes do mundo, nós explicamos.

Tarte Tatin, nossa torta de maçã

Tarte Tatin
Tarte Tatin

Por mais que seja difícil precisar a origem da torta de maçã, uma coisa é certa, ela faz muito sucesso na Alsácia, região francesa conhecida por suas tortas de frutas. Uma boa pedida é harmonizar esta sobremesa com espumantes do tipo Asti, como o Espumante Asti DOCG Branco Sperone, que acentuam ainda mais os nuances do sabor da maçã, equilibrando a acidez e doçura. Uma opção de harmonização étnica seria a do Espumante Beau Rocher Brut branco, francês de pequenas e delicadas bolhas. Seus aromas lembram frutas brancas e, em boca, é muito fresco e equilibrado.

Fondue

Fondue
Fondue

Este clássico dispensa apresentações. Quem nunca se pegou imaginando uma fondue de queijo quentinho em um dia frio? Essa combinação é simplesmente perfeita! Ainda mais perfeita é a harmonização com o Château de Cathalogne Bordeaux Branco, um vinho branco elaborado com a uva Sauvignon Blanc, em Bordeaux e que passa por contato com as leveduras (sur lies), o que confere maior complexidade. Este rótulo apresenta aromas de frutas cítricas e, em boca, é equilibrado e fresco. Para aqueles que preferem os tintos, indicamos o Corbelli Pinot Grigio.

Quer mergulhar ainda mais no universo dos vinhos? Acesse o nosso blog!

Compartilhe este post!

Facebook
Twitter
Pinterest
WhatsApp

Confira mais em

Vinhos para a Páscoa

Páscoa e vinho têm tudo a ver. Confira dicas de 6 vinhos para harmonizar com o cardápio da festividade!