Os encantos da uva branca Viognier

Natural da França, a Viognier é cultivada no mundo todo; na Argentina, produz exemplares de delicados aromas frutados e florais.

Falou em vinho a gente pensa em tintos, porém quando começa-se a conhecer (e experimentar) a diversidade dos brancos, desvenda-se mais uma possibilidade incrível deste delicioso universo. Hoje vamos falar sobre uma casta originalmente francesa, produzida em todo mundo, e responsável por vinhos de grande tipicidade, a uva branca Viognier.

Vinhos brancos

Exemplares brancos podem ser frescos ou untuosos, para serem consumidos jovens ou depois de alguns anos, para momentos sem acompanhamento ou para escoltar uma refeição inteira. Ou seja, vinhos brancos são muito versáteis.

São diversas as castas que produzem brancos e entre as mais famosas estão Chardonnay, Sauvignon Blanc, Riesling e Sémillon. Outras reconhecidas internacionalmente são Alvarinho, Chenin Blanc, Muscat, Pinot Blanc, Verdelho e Viognier.

A uva branca Viognier

A Viognier é uma uva de alta qualidade, que gera vinhos brancos estruturados, secos e com aromas que podem lembrar damascos e almíscar.

Segundo o livro Wine Grapes, da escritora inglesa Jancis Robinson, a variedade originou-se no Norte do Rhône, na França, e as primeiras menções a ela datam do século XVIII. Estudos indicam que pode haver relação entre a Viogner e a Mondeuse Blanche, o que a tornaria parente da Syrah. Porém, ela também é geneticamente próxima à variedade Freisa, então poderia estar de alguma forma ligada à italiana Nebbiolo. Estas suposições fazem parte dos amplos estudos que são desenvolvidos atualmente sobre o DNA das uvas viníferas.

Além destas curiosidades, o que nos interessa aqui é saber como um vinho de Viognier, no caso argentino, comporta-se na taça.

O Alambrado Viognier é elaborado no Vale do Uco, em Mendoza, Argentina. O vinhedo Vista Flores está a 1.000 metros de altitude, o que proporciona um lento e pleno amadurecimento da variedade. Este exemplar fresco e elegante apresenta delicados aromas frutados que lembram damascos e pêssegos, com notas de baunilha. Ótimo sem acompanhamento, mas também harmoniza com ceviche, culinária japonesa e pratos à base de peixes leves. Experimente!

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Vinhos Díaz Bayo

A família Díaz Bayo elabora vinhos de grande destaque na Ribera del Duero, uma das principais denominações da Espanha.

Vinhos varietais e de corte?

Continuando nossa “tradução” do vocabulário do mundo dos vinhos, o significado dos rótulos varietais ou de corte numa explicação descomplicada.

Como se faz vinhos rosés?

Frescos e elegantes, os vinhos rosés têm roubado a cena já há algum tempo e são preferência dos Millenials.

Vinhos da Rioja

Conheça os vinhos da região da Rioja, a principal denominação da Espanha.