Pronto para conhecer a Pinot Noir?

Conheça a uva tinta de origem francesa que tem uma legião de entusiastas pelo mundo.

A Pinot Noir é uma das uvas mais antigas que temos conhecimento. Estudiosos dizem que ela é cerca de mil anos mais velha que a Cabernet Sauvignon. É uma casta temperamental, complexa e delicada, pois é difícil de ser cultivada e exige uma série de condições climáticas para que origine vinhos que sejam a verdadeira expressão do terroir.

Natural da Borgonha, na França, passou a ser cultivada pelos monges cistercienses ainda na Idade Média. Durante séculos, estes religiosos estudaram os melhores terrenos e construíram um verdadeiro mosaico neste pedaço de território francês que hoje origina alguns dos melhores vinhos do mundo.

Por isso, a Pinot Noir é considerada a grande intérprete do terroir da Borgonha, sendo que sua melhor expressão é na Côte d’Or. Quando jovens, os vinhos apresentam cor rubi intenso que se torna mais pálido ao longo do tempo, até atingir a cor alaranjada. No nariz, destacam-se frutas frescas como cereja e groselha, pimenta picante e canela, às vezes ressaltada com café ou notas de fumaça. Com o passar dos anos os sabores se tornarão notas de geleia, aromas requintados de cogumelos silvestres, trufas, notas animais, couro e pele. Produz vinhos arredondados, com taninos delicados que suavizam com o tempo. A acidez depende da safra e é o que possibilita o envelhecimento pleno de um vinho Borgonha.

A encantadora e versátil uva tinta Pinot Noir!

Parentes da Pinot Noir

Dizem que onde há Pinot Noir há Chardonnay e a explicação é muito simples: a Chardonnay é o resultado do cruzamento entre a Pinot Noir e a Gouais Blanc. No livro Wine Grapes, a autora Jancis Robinson escreve que as uvas Pinot Gris/Grigio e Pinot Blanc são mutações de cores da Pinot Noir.

Décima variedade de uva vinífera mais plantada do mundo (a França lidera, seguida de Estados Unidos e Alemanha), é melhor cultivada em climas frios, onde desenvolve mais acidez e aroma. Além dos tintos, entra nos cortes dos grandes espumantes e champanhes. Os vinhos elaborados com essa casta no Novo Mundo geralmente são menos encorpados e com taninos mais delicados.

Quer degustar um autêntico Pinot Noir francês? Vem ver o que a gente traz pro Brasil, aqui na Grande Adega.

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Conheça a uva Chardonnay

Esta versátil uva branca de origem francesa é cultivada em praticamente todas as regiões vinícolas do mundo.

Vinhos Díaz Bayo

A família Díaz Bayo elabora vinhos de grande destaque na Ribera del Duero, uma das principais denominações da Espanha.

Vinhos varietais e de corte?

Continuando nossa “tradução” do vocabulário do mundo dos vinhos, o significado dos rótulos varietais ou de corte numa explicação descomplicada.

Como se faz vinhos rosés?

Frescos e elegantes, os vinhos rosés têm roubado a cena já há algum tempo e são preferência dos Millenials.

Vinhos da Rioja

Conheça os vinhos da região da Rioja, a principal denominação da Espanha.