Rosalia Molina: enóloga da Altolandon

Entrevista com a enóloga e proprietária da vinícola espanhola Altolandon, que elabora vinhos orgânicos que levam também o selo europeu de produção vegana.

Apresentamos a vocês a Bodega Altolandon aqui! Trata-se de uma vinícola butique que elabora vinhos com extremo cuidado, valorizando todo o processo, do vinhedo ao engarrafamento. O casal Rosalia Molina e Manolo Garrote inaugurou o projeto no ano 2000, acreditando no potencial da denominação de origem Manchuela, em Castilla-La Mancha, no centro da Espanha. As características de terroir, principalmente a elevada altitude, o frio e o vento constantes, são perfeitas para a elaboração de vinhos frescos, equilibrados e complexos.

Confira o bate-papo que tivemos com a enóloga Rosalia. Para conhecer os vinhos da Altolandon, clique aqui!

Você e o Manolo são os proprietários e cuidam da produção de vinhos?

Sim, eu e Manolo somos os proprietários da Altoandon. Manolo é o responsável pela viticultura, pois é Engenheiro Agrônomo, e eu sou enóloga.

Qual o ano da fundação da vinícola?

Fundamos a vinícola no ano 2000, a partir do zero. Hoje possuímos 200 hectares de vinhedos orgânicos (com certificação europeia). Não utilizamos produtos químicos, todo o processo é feito com o máximo respeito ao meio ambiente, à biodiversidade e à paisagem. A altitude é uma excelente aliada para que tudo seja o mais natural possível, pois proporciona clima frio e vento.

Muitos dos vinhedos são antigos? De quantos anos, mais ou menos?

Temos vinhas das uvas Bobal e Garnacha com 100 anos e outras entre 80 e 60 anos. Temos também uma plantação mais jovem, que vai de 20 até 2 anos, de castas que escolhemos como Cabernet Franc, Malbec, Pinot Noir, etc.

Qual a importância de ser uma vinícola vegana?

Em minha opinião, o rótulo vegano é como uma moda, uma tendência para quem decide se alimentar de forma mais saudável, respeitando os animais. Eu acredito que, resumidamente, é uma forma de criar produtos com o mínimo de intervenção. Não é necessário usar animais para criar produtos que podem ser obtidos naturalmente ou de vegetais.

Qual a identidade de variedades internacionais como Malbec, Syrah e Cabernet Franc cultivadas nas altitudes de Manchuela?

Decidimos plantar estas castas porque a altitude confere as uvas características especiais, como acidez natural e frescura ímpar. As uvas são menores e mais concentradas em solos mais pobres. Concentram-se as cores e os aromas, resultando em vinhos de grande qualidade e frescura. Nossos vinhos refletem a paisagem de onde provêm.

Vocês utilizam leveduras próprias das uvas. Por quê?

Pensamos que se respeitarmos sempre as características naturais do meio ambiente, dos solos e do clima, trabalhando com cada casta separadamente, não faz sentido utilizar uma levedura comercial que dê uma semelhança aos vinhos uma vindima após a outra, tornando-os exatamente igual. Não há dois anos iguais, pois nem sempre chove igual, nem é o mesmo calor. Fazemos os vinhos com as suas próprias leveduras para que cada uva exprima francamente todas as suas características, o seu solo e a condições que a planta viveu por um ano inteiro.

Vocês também não filtram os vinhos, correto?

Quando fazemos a filtragem conseguimos remover partículas “irritantes” à vista, mas também removemos propriedades e elementos bons que elas possam possuir. Na Altolandon só filtramos com um filtro leve para eliminar as partículas maiores das borras que se acumulam pelo tempo de envelhecimento e que não contribuem em nada.

Qual o diferencial da uva Bobal, tão importante para vocês?

A casta Bobal é única, tem origem na zona de Utiel-Requena e Manchuela que, na verdade, é a mesma zona separada por um rio, o rio Cabriel. É conhecida há séculos e só é cultivada nesta área, em nenhum outro lugar do mundo, nem mesmo na Espanha. Isto a torna uma variedade única! Rica em acidez, em cor e muito expressiva. É um patrimônio da nossa área que deve ser promovida e divulgada no resto do mundo.

Quais são as principais características do terroir de vocês?

Temos diferentes tipos de solos devido à altitude. Durante séculos, as montanhas passaram por processos de erosão que resultaram em solos argilosos, calcários e minerais, com muita pedra que favorece o escoamento das águas. Hoje existe uma cobertura vegetal que favorece a biodiversidade e evita a erosão do solo.

Para você, qual a grande satisfação em ser enóloga?

A minha grande satisfação é poder dedicar-me àquilo que me apaixona, que é o mundo do vinho, desde o início da sua produção. Apesar de ter estudado Enologia, nunca pensei que pudesse ter o meu próprio projeto. É uma sorte dupla poder partilhar esta paixão com a minha família, o meu marido e os nossos 3 filhos. Mesmo quando você tem certeza de sua preferência, geralmente é difícil criar algo tão empolgante quando você começa do zero.

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Degustando vinhos da Borgonha

A francesa Borgonha é a região de alguns dos mais impecáveis e cobiçados vinhos do mundo. Conheça os exemplares da Maison Moillard, recém-lançados no Brasil.

Vinhos da Ribera del Duero

Os vinhos Petit Vega e Díaz Bayo trazem toda a essência do terroir de uma das principais regiões vitivinícolas da Espanha, a Ribera del Duero.