10 palavras do universo dos vinhos!

Vinho tânico, estruturado, mineral? Separamos palavras para você entender o que significam quando se referem aos vinhos.

O mundo dos vinhos tem um vocabulário próprio, cheio de termos que nem sempre são de fácil compreensão. Por isso, fizemos uma listinha de 10 palavras do universo dos vinhos, bastante comuns quando a ideia é descrever o estilo do rótulo. Todas elas completam a frase: Esse vinho é…

Divirta-se!

Seco

Pode ser a descrição básico do estilo de um vinho, mas nem todo mundo sabe que um vinho seco nada mais é do que sem açúcar perceptível em boca. Pela legislação vigente no Brasil, um vinho seco pode ter até 4 gramas de açúcar por litro, mas é comum ter bem menos que isso. Lembre-se que o açúcar de um vinho de qualidade é o da fruta que resta pós fermentação.

Doce

Nos vinhos doces restou açúcar da fruta depois do processo de fermentação. Isso acontece porque chega um momento em que as leveduras “morrem”, ou seja, param de consumir o açúcar, ou ainda quando interrompe-se a fermentação propositalmente, como no caso dos fortificados como os portugueses vinho do Porto ou vinho Madeira. Pela legislação brasileira, um vinho doce terá entre 25,1 e 80 gramas de açúcar por litro.

Tânico

O tanino é responsável por várias qualidades relacionadas ao vinho, desde os polifenóis que fazem bem à saúde até o elemento que garante longevidade às bebidas. Ele é encontrado naturalmente em plantas, incluindo as uvas, e como são capazes de precipitar proteínas são os responsáveis pela sensação de adstringência na boca. Eles devem estar equilibrados, macios e bem trabalhados.

Estruturado

A definição do dicionário é o que funciona para esse jargão utilizado no mundo dos vinhos. Estruturado quer dizer equilibrado, ou seja, elementos como taninos, acidez e fruta estão em plena concordância, o que dá estrutura para um vinho combinar com uma carne vermelha mal passada, por exemplo.

Equilibrado

É justamente o que dissemos acima: em um vinho equilibrado nenhum elemento se sobrepõe ao outro, ou seja, fruta, tanino, acidez e tempo de barrica estão em plena harmonia. Em boca, você sente tudo isso junto e a experiência fica ainda mais prazerosa.

Mineral

Essa é uma palavra que intriga: o que esperar de um vinho cuja descrição inclui a palavra mineralidade? Geralmente, esse vinho terá menos aromas de flores e frutas e a mineralidade é traduzida em algo como giz de quadro negro. Geralmente são vinhos de solos minerais como o da Borgonha, na França, que foram oceano há milênios e até hoje conservam fósseis da época.

Persistente

Depois de dar um gole em um vinho conte quantos segundos que o sabor fica em sua boca. Passou de 5 segundos já temos uma boa persistência. Passou de 10 segundos, trata-se de uma persistência ótima.

Ácido

A acidez, ao lado da presença dos taninos, é um dos elementos que dá longevidade ao vinho, além de ser o que confere frescor à bebida. Geralmente quando o vinho tem pouca acidez diz-se que está sem graça. Já quando a acidez é boa ou pronunciada o vinho é vivo e refrescante. Quanto mais a boca salivar, mais alto é o grau de acidez. Vale lembrar que tanto brancos, quanto rosés e tintos têm acidez.

Sedoso ou macio

As palavras são autoexplicativas. Nos vinhos sedosos ou macios, nada incomoda, todos os elementos se completam e a experiência é traduzida por essas deliciosas sensações em boca. Geralmente são exemplares que não precisam de harmonização para serem degustados.

Versátil

Diz-se daquele vinho que pode ser degustado sozinho, acompanhando petiscos ou até uma refeição inteira. Ou seja, é aquela bebida que tem a capacidade de se adaptar a cada circunstância.

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Como escolher a taça ideal?

Você sabe como escolher a taça correta para cada estilo de vinho? Listamos sugestões que podem facilitar o dia a dia.