Degustando vinhos da Borgonha

A francesa Borgonha é a região de alguns dos mais impecáveis e cobiçados vinhos do mundo. Conheça os exemplares da Maison Moillard, recém-lançados no Brasil.

As condições naturais fazem da França o cenário perfeito para a produção de alguns dos melhores vinhos do mundo e a Borgonha certamente reúne os principais terroirs do país. Dizem que a Borgonha define o rumo dos vinhos e não é exagero; poucas regiões vinícolas têm predicados tão especiais. Os vinhos da Borgonha ganham complexidade e elegância inigualáveis com o envelhecimento. Além disso, há uma aura especial e determinante para os fiéis apreciadores: nunca se sabe exatamente o que se irá encontrar ao abrir um Borgonha. Parte dessa imprevisibilidade deve-se à localização geográfica: mesmo as áreas mais ao Sul estão muito ao Norte para que as uvas amadureçam de forma constante, todos os anos.

Os produtores da Borgonha sempre tiveram um interesse maior pela terra e pelas plantas do que pela adega. Quer escolham a certificação orgânica, a prática da biodinâmica, o cultivo racional ou o retorno às práticas de seus antigos registros familiares, os borgonheses têm como objetivo atual devolver a terra toda a sua qualidade e traduzir séculos de conhecimento deste inimitável terroir.

Maison Moillard: savoir-faire

A Família Moillard possui vinhedos na Borgonha desde antes da Revolução Francesa e destaca-se na produção desde 1850. Hoje a propriedade abrange quase 20 hectares entre a Côte de Nuits e a Côte de Beaune, de Nuits-Saint-Georges a Volnay, sendo que metade dos vinhos são Premier Cru. Selecionamos rótulos impecáveis trazidos ao Brasil exclusivamente pela Grande Adega.

Chablis Coquillage

Branco elaborado com a uva Chardonnay em Chablis. Estagia entre 8 e 10 meses em contato com as borras (sur lies), o que confere grande complexidade. Vinho muito equilibrado, com final fresco com notas de limão.

Aloxe-Corton Les Affouages

Tinto de Pinot Noir elaborado na vila Aloxe-Corton, localizada na Côte de Beaune. Amadureceu por 12 meses em barricas de carvalho francês. Estruturado, poderoso e elegante.

Puligny-Montrachet Vieilles Vignes

Vinho branco elaborado com a Chardonnay na vila de Puligny-Montrachet, região produtora de grandes Borgonha; neste caso, do vinhedo Grand Cru Montrachet. A fermentação ocorre em barricas de carvalho e posteriormente o vinho estagia 10 meses em barrica para maior complexidade.

Pommard Premier Cru Les Charmots

A vila de Pommard está localizada no coração da Côte de Beaune, na Borgonha. Les Charmots é o nome do vinhedo onde a Pinot Noir é produzida. Esse vinho complexo e de longa guarda amadurece entre 8 e 16 meses em barrica de carvalho.

Corton Grand Cru Les Grandes Lolières

Corton é o único Grand Cru de vinho tinto na Côte de Beaune. As uvas Pinot Noir provêm de uma parcela chamada Les Grandes Lolières e o vinho amadurece em barrica francesa por 20 meses. Mostra toda a tipicidade de um Grand Cru da Borgonha.

Compartilhe este post!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira mais em

Rosalia Molina: enóloga da Altolandon

Entrevista com a enóloga e proprietária da vinícola espanhola Altolandon, que elabora vinhos orgânicos que levam também o selo europeu de produção vegana.

Vinhos da Ribera del Duero

Os vinhos Petit Vega e Díaz Bayo trazem toda a essência do terroir de uma das principais regiões vitivinícolas da Espanha, a Ribera del Duero.